Sobre as Galerias de Arte Urbana de Chemainus (1983)

Temos vindo a elaborar alguns textos sobre novos olhares sobre as heranças africanas em Lisboa. Neles encontramos as galerias de arte urbana que tem vindo a ser usadas para expressar novos movimentos de expressão das memórias.

Ao aprofundar o temos encontramos este texto de Catarina, no blog “Mundo Indefinido sobre este assunto, que aqui citamos.

Sobre as Galerias de Arte Urbana de Chemainus (1983)

Segundo a autora “Chemainus , uma pequna cidade na Costa oeste do Canadá, encontrou como solução de enfrentar a sua decadência industrial das serrações nos anos 80, através da elaboração de pinturas murais, onde ficaram representadas as memórias do passado da terra.

De acordo com o postal da autora ficaram pintadas nas galerias ao ar livra a memória da comunidades. As obras são uma forte atração turística, que alimenta um pequeno hotel, um restaurante e pequna lojas. Os vários percursos são orientados por pegadas.

do blog “Mundo Indefenido” de  Catarina.

Anúncios

Sobre Pedro Pereira Leite

Cátedra UNESCO - Educação, Cidadania e Diversidade Cultural - Lisboa ULHT É diretor de Casa Muss-amb-iki - espaço de Memórias. Intervém no âmbito de pesquisa de redes sociais de memoria.
Esse post foi publicado em Lectures / Readings e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.