Cidades solidarias nas trocas XXV

As cidades são os lugares onde as maioria das pessoas, organizados em sociedade estão hoje a viver, a trocar e a construir o seu futuro. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável permitem-nos pensar em alternativas; económicas, sociais e ambientais.

Um outro modelo económico, em que os recursos são partilhados, onde os poderes públicos colocam à disposição da comunidade um conjunto de serviços, que que devem ser usados de por todos de acordo com as necessidades. O modelo de propriedade pode ser alterado. Hoje é possível pensar num modelo de economias de trocas solidarias, ao invés de economias de posse, que caracterizou o século XX. Uma alternativa social, com base nas em relações pacíficas, com respeito pela dignidade humana, solidárias e equitativas. E do ponto de vista ambiental, a alternativa passa por encontro com um outro modo de relação com a natureza, com base na compreensão dos seus limites e na sua biodiversidade.

A nossa casa e a nossa vida têm que mudar para que possamos sobreviver. As nossas cidades têm que estar preparadas para essa mudança. A economia partilhada com lugar para as pessoas. Cidade com bairros diversificados e inclusivos. A justiça social e cognitiva implica mudança. Não devemos recear enfrentar a mudança. A mudança será constante e inevitável. Por via das novas tecnologias de informação e comunicação, a nossa sociedade vai enfrentar novos desafios. Sistemas inteligentes implicam sociedades mais inteligentes. Os modos de organização social terão que se ajustar. Sobretudo, o poder político terá que acompanhar a evolução da sociedade.

Anúncios

Sobre Pedro Pereira Leite

Cátedra UNESCO - Educação, Cidadania e Diversidade Cultural - Lisboa ULHT Investigador do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra onde desenvolve o projeto de investigação "Heranças Globais: a inclusão dos saberes das comunidades como instrumento de desenvolvimento integrado dos território".(2012-2107) . O projeto tem como objetivo observar a relevâncias no uso da memória social em quatro territórios ligados por processos sociais comuns. A investigação desenvolve-se em Portugal e Espanha, na zona da Fronteira; em Moçambique e no Brasil. (FCT:SHRH/BPD/76601/2011). É diretor de Casa Muss-amb-iki - espaço de Memórias. Intervém no âmbito de pesquisa de redes sociais de memoria.
Esse post foi publicado em Actualités / News, Lectures / Readings e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.