Círculo de Sementes

Círculos de Sementes

É um projecto de FredericaTeixeira & Pepa Bernardes iniciado em Outubro de 2012 no  sequência de um apelo internacional da Vandana Shiva apelando à Libertação das Sementes.

Na sequência as autoras organizaram um Workshop de Sementes mas ddicidiram que não bastava

Depois de pesquisarem o que estava a ser feito por ONG’s, grupos informais, empresas, associações, agricultores, instituto e da vontade de partilhar conhecimento introduzimos as Oficinas de Recolha e Conservação de Sementes.

Da necessidade de existirem pessoas a multiplicar e partilhar estas preciosidades num contexto local juntámos o conceito de Círculos de Sementes,para que a energia de cada um desse força a Todos unimos tudo numa Rede e o resultado.

Um Círculo de Sementes 

  • Consiste em reunir um grupo de Amigos, em que cada um se inscreve para multiplicar e guardar Sementes de uma ou mais Culturas.
  • Cada elemento escolhe uma cultura, semeia, cuida, colhe, limpa, seca e armazena as Sementes.
  • Nos encontros todos partilham as suas Sementes e a informação que tem sobre as plantas que escolheram.

OBJECTIVOS DA REDE

Criar uma Rede de Círculos de Sementes por todo o País, Redescobrindo, Recolhendo e Partilhando Variedades Antigas e Tradicionais deste Valioso Património que são as Sementes & Realizar acções de sensibilização e partilha de conhecimentos sobre Sementes e Soberania alimentar.

LINHAS ORIENTADORAS DA REDE DE CÍRCULOS

Dentro desta Rede todas as Sementes são Partilhadas. Nenhuma Semente poderá ser Vendida. Não são permitidas Sementes geneticamente modificadas.

O CÍRCULO

  • Para iniciar um Círculo são necessárias pelo menos uma pessoa, como máximo sugerimos não mais de 12 pessoas para manter o foco, o apoio e compromisso.
  • Os participantes de cada circulo deverão saber como colher, limpar e armazenar as suas Sementes
  • Se existirem pessoas que não saibam como o fazer deverá ser realizada uma Oficina de Sementes (realizada gratuitamente pela Equipa de apoio da Rede)
  • Cada elemento escolhe livremente uma ou mais culturas que goste e que deseje cuidar.
  • Deverá ser dada prioridade a Sementes Tradicionais e Rústicas, mas se alguém desejar poderá se inscrever com Culturas que não sejam Tradicionais na sua Zona (por exemplo Stevia)
  • Cada elemento compromete-se a partilhar as Sementes que tem com os outros elementos do Circulo, e se tiver em stock com os Círculos que solicitarem essas sementes.
  • Cada Círculo tem um/a Dinamizador/a que é o elemento que faz a ligação do Círculo á Rede e que ajuda na organização dos Encontros.
  • Pode ser a pessoa que decidiu criar o Círculo ou pode ser eleito/a por votação, deve ser alguém que o deseje ser. A duração de coordenação é definida pelo Círculo.

ENCONTROS DE PARTILHA

  • Os Encontros são momentos de partilha dinamizados por cada Circulo.
  • Podem ser encontros acompanhados de visitas, ajudadas, partilha de sementes, partilha de saberes, celebração, recolha de sementes, entre outros.
  • Sugerimos um encontro em cada trimestre.
  • Sempre que um Circulo prepara um Encontro contacta via email com a Rede por forma a ser anunciado  (enviando a data, o local, o programa do encontro, o contacto e se possível uma foto)
  • No final de cada Encontro o dinamizador envia um breve resumo via email (se possível acompanhado de algumas fotos), para posterior partilha com todos os círculos.

ENCONTRO ANUAL DA REDE DE CÍRCULOS DE SEMENTES

Sempre que possível haverá um encontro anual de Partilha e Celebração entre todos os Círculos de Sementes

Os Encontros Nacionais serão realizados de forma a percorrer os vários Círculos, sendo co-organizados pela Rede e o Círculo Anfitrião desse ano.

EQUIPA DE APOIO 

A Rede dispõe de uma equipa de apoio gratuita que poderá ser solicitada via email  circulosdesementes@gmail.com

Esta equipa está disponível para esclarecer quaisquer questões e para realizar visitas e oficinas de Sementes

As visitas da equipa de apoio aos Círculos são gratuitas porém, o Círculo que solicitar a visita terá que assegurar as  despesas de deslocações, alojamento e alimentação da equipa

BANCOS LOCAIS DE SEMENTES 

Cada Círculo deverá criar o seu Banco de Sementes.

Sugerimos que cada Círculo dê prioridade a ter no seu Banco de Sementes variedades que tradicionalmente se cultivam na sua zona, pois estas estarão já adaptadas ás características especificas da sua região ( geografia, clima, tipo de solo )

Neste contexto ao usarmos a palavra tradicionalmente pretende-se dizer que são cultivadas pelo menos à uma década.

Estes bancos locais de Sementes existem para:

– Ajudar a manter o maior numero”possível” de diversidade de sementes de uma forma descentralizada e no local.

– Partilhas entre Círculos

Cada Circulo faz os seus pedidos diretamente aos círculos que desejar nesta fase por email mais tarde via site ou diretamente nos encontros de partilha

– Ajudar a iniciar novos círculos

Quando nasce um novo Circulo se este não tiver sementes pode solicitar sementes aos Círculos que têm sementes disponíveis.

ATIVIDADES EM CURSO

  • Banco de Sementes da Rede de Círculos
  • Rede de Círculos de Sementes
  • Encontro Nacional a cada ano, onde celebramos as Sementes, dançamos, partilhamos sementes, momentos, oficinas, …
  • Palestras de sensibilização sobre a importância de preservar as variedades locais de sementes
  • Oficinas de Recolha e Conservação de Sementes
  • Oficinas para escolas primárias

A Rede tem um Blog de Notícias onde vai partilhando as actividades dos vários Círculos de Sementes, bem como informação relevante no contexto da preservação das Semente.

UM PROJECTO DA ASSOCIAÇÃO

COM A COORDENAÇÃO DE

FredericaTeixeira & Pepa Bernardes

 

Anúncios

Sobre Pedro Pereira Leite

Investigador do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra onde desenvolve o projeto de investigação "Heranças Globais: a inclusão dos saberes das comunidades como instrumento de desenvolvimento integrado dos território".(2012-2107) . O projeto tem como objetivo observar a relevâncias no uso da memória social em quatro territórios ligados por processos sociais comuns. A investigação desenvolve-se em Portugal e Espanha, na zona da Fronteira; em Moçambique e no Brasil. (FCT:SHRH/BPD/76601/2011). É diretor de Casa Muss-amb-iki - espaço de Memórias. Intervém no âmbito de pesquisa de redes sociais de memoria.
Esse post foi publicado em Actualités / News e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s