CIII – Cultura e Dignidade Humana – Lugares das Economias Criativas

Apresentamos a dinâmcia da co-criação, os projetos das cidades criativas, e o papel das redes de desenvolvimento e comunicação para promover o mercado de produtos criativos

Sumario:

  • Descrever as dinâmicas da co-criação, os clusters criativos e as cidades criativas;
  • Identicar a relevância das parcerias e das redes para a promoção da cultura do empeendorismo criativo;
  • Reconhecer a importância de estar ligado e das plataformas digitais para os produtos criativos

 

No nosso mundo globalizado e intedependente, pessoas, mercados e lugares estão interconectados. Para entender a dinâmica da economia criativa, os indivíduos e as organizações devem ser proativos e estarem envolvidos no setor criativo, mas duma forma em que interagem uns com os outros. A economia criativa é uma grande rede que envolve múltiplos atores.

Para ser ser eficiente, a economia criativa necessita de ser inclusiva. Requer um processo de participação, o que significa que deve juntar e envolver os representantes do setor público, do setor privado e do setor solidário (ou não lucrativo /economia social) e sociedade civil.

A Economia Criativa tem as suas peculiaridades. Grupos ou locai de economia criativa podem surgir em qualquer lugar. Mas o seu crescimento pode ser exponencial se as condições para a constituição de clusters puderem emergir. A proximidade a um cluster é uma condição qu permite às empresas criativas sobreviverem e crescerem.

Todas a industrias criativa tem a sua estrutura organizacional, mas normalmente envolvem áreas de artesanato, música, filmes, artes visuais, novos media, moda, etc. que tende a clusturizar para criar economias de escalas. Os profissionais das artes e criação podem beneficiar dos mercados e da informação, podem partilhar cursos e conhecimentos. De certa forma eles são competidores mas são ao mesmo tempo colaboradores entre si, uma vez que aproveitam os saberes e os fazeres locais.

Um exemplo bem conhecido da clusterização das industrias criativas é Hollywood nos Estados Unidos e Bollywood em Bombaím na India.

 

Anúncios

Sobre Pedro Pereira Leite

Investigador do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra onde desenvolve o projeto de investigação "Heranças Globais: a inclusão dos saberes das comunidades como instrumento de desenvolvimento integrado dos território".(2012-2107) . O projeto tem como objetivo observar a relevâncias no uso da memória social em quatro territórios ligados por processos sociais comuns. A investigação desenvolve-se em Portugal e Espanha, na zona da Fronteira; em Moçambique e no Brasil. (FCT:SHRH/BPD/76601/2011). É diretor de Casa Muss-amb-iki - espaço de Memórias. Intervém no âmbito de pesquisa de redes sociais de memoria.
Esse post foi publicado em Actualités / News, Lectures / Readings e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s