Amazónicas XXXV – A Mala Voadora ou sobre a História de Moçambique

“A História é uma verdade que tende a ser mentira, e o mito é uma mentira que tende a ser verdade”

Jorge Cocteau.

malavoadora É este o mote da peça apresentada por Jorge Andrade no Teatro Maria Matos.

Espetáculo de “A Mala Voadora” faz-nos passar pelas diferente narrativas, pelos diferentes projetos sociais e pessoais, sempre com humor e boa-disposição.

Diz o programa

Os três elementos mais antigos da mala voadora nasceram em Moçambique. Um é o Jorge Andrade. Apesar de ter vindo para Portugal com 4 anos, em Moçambique ele propõe-se construir uma autobiografia como se tivesse vivido em Moçambique toda a sua vida. E para que a sua história se torne credível, vai ter de impô-la à História do país. Como o teatro documental só tem interesse se contar mentiras, vamos trazer imagens efetivamente documentais para o contexto ficcional do teatro, ficcionando-as de um modo que não visa a verdade. Visa antes, como um romance histórico, inventar uma história cujo contexto advém da História. Jorge Andrade fará parte da História de Moçambique.

Ficha Técnica

texto e direcção Jorge Andrade . com Bruno Huca, Isabél Zuaa, Jani Zhao, Jorge Andrade, Matamba Joaquim, Tânia Alves, Welket Bungué . cenografiaJosé Capela . figurinos José Capela com execução de Aldina Jesus . vídeoANIMA e Bruno Canas . banda sonora Rui Lima e Sérgio Martins . luz Rui Monteiro . coreografia Bruno Huca . fotografias de cena Bruno Simão e José Carlos Duarte . imagem de divulgação António MV . vídeo de divulgaçãoJorge Jácome e Marta Simões . assistência Francisco Campos Lima . direcção de produção Joana Costa Santos . apoio à produção e comunicação Jonathan da Costa . gestão e programação cultural Vânia Rodrigues . apoio CAAA, Centro Cultural Português – Maputo / Instituto Camões, Fundação Calouste Gulbenkian,Hotel Peninsular, Teatro Nacional D. Maria II, Teatro Nacional São João. agradecimentos Agostinho Félix Trindade, Alessandra de Silos Brito, Alexandre Zhao, Amilton Alissone, Dai Jing Zhen, Ekaterina Solomina, Filipe Branquinho, Graça Sousa, Inês Afonso, Luís Santos, Marta Félix, Moldursant, Pia Kramer, Ricardo Areias, Rita Couto, Vanda Marques, Vitor Pinto, Zhao Jia Liang . residência artística Espaço do Tempo . coprodução Teatro Municipal Maria Matos, Teatro Municipal do Porto Rivoli/Campo Alegre, Teatro Viriato . classificação etária M16

mocambique_divulgacao_creditos_antoniomv

 

Anúncios

Sobre Pedro Pereira Leite

Investigador do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra onde desenvolve o projeto de investigação "Heranças Globais: a inclusão dos saberes das comunidades como instrumento de desenvolvimento integrado dos território".(2012-2107) . O projeto tem como objetivo observar a relevâncias no uso da memória social em quatro territórios ligados por processos sociais comuns. A investigação desenvolve-se em Portugal e Espanha, na zona da Fronteira; em Moçambique e no Brasil. (FCT:SHRH/BPD/76601/2011). É diretor de Casa Muss-amb-iki - espaço de Memórias. Intervém no âmbito de pesquisa de redes sociais de memoria.
Esse post foi publicado em Actualités / News e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s