Amazónicas XXI – Ubuntu – eu sou porque nós somos

Na procura de alternativas éticas de emacipação social, temos vindo a desenvolver as questões das epistemologias do Sul, das fronteiras e do Barroco.

Há todavia que recuperar saberes e éticas subordinadas. na procura soluções de reconstrução destas vias alternativas. Já falamos do Bem-viver. Agora falamos da ética UBUNTU.ubuntu-2

A ética UBUNTU  afirma  a consciência da pertença a um todo. Uma pertença que é dialógica, porque é construída na interligação entre os indivíduos. Uma interligação cooperativa e solidária.  O UBUNTU  é a consciência da necessidade do rompimento com o individualismo.

A ética Ubuntu procura o compromisso. Procura o dialogo, a inclusão a compreensão, a compaixão, o cuidado, a partilha, e solidariedade.

“Eu sou porque você é” – “nós somos porque você é e eu sou”. Importa a dignidade de todos. Assumir UBUNTU é colocar emancipação e cidadania em novos patamares.

Ubuntu  é uma filosofia africana que retrata a pertença de cada um ao todo. Uma unidade construída por teias de ligações rizomáticas, que crescem pelo dialogo.

A prática da ética UBUNTU implica o acolhimento, a generosidade, a partilha e compartilha. A ética do UBUNTU permite criar capacidade de resiliência, e criar condições para a sua afirmação como pessoas

A ética UBUNTU implica a disponibilidade para os outros e gera autoconhecimento. A ética UBUNTU parte do reconhecimento de cada um no todo

A ética UBUNTU guiou Mandela na construção duma África do Sul que superasse a violência e o ódio gerado pela política de sepração racial (apartheid). Não vale vencer a qualquer custo e é necessário reconciliar as partes desavindas. A satisfação do todo depende de satisfação de cada uma das partes.

A cultura do UBUNTU é milenar e está enraizada na cultura africana e na sua diaspora. A ética Unbutu permite o reconhecimento de si, do outro, dos pensamento e ações, das emoções e razão e através desse reconhecimento, das diferenças e singularidades assumir outras presptivas de ação.

A ética UBUNTU está presente em muitas manifestações populares em diversos continentes. Ubuntu Está na roda de samba, na roda de capoeira, no jongo, nas cirandas e no candomblé. Rodas em que todos se olham sem hierarquias.

A chave é a importância do acordo, do compromisso e na procura da construção coletiva

UBUNTU também é referência para a comunidade do software livre, baseada no trabalho cooperativo.

Ubuntu é uma referencia para as práticas de democracia direta, participativa e colaborativa, em que as tecnologias da informação e da comunicação são colocadas a serviço da emancipação humana, de forma livre e aberta.

 

Veja video do Movimento Raiz sobre UBUNTU

Anúncios

Sobre Pedro Pereira Leite

Investigador do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra onde desenvolve o projeto de investigação "Heranças Globais: a inclusão dos saberes das comunidades como instrumento de desenvolvimento integrado dos território".(2012-2107) . O projeto tem como objetivo observar a relevâncias no uso da memória social em quatro territórios ligados por processos sociais comuns. A investigação desenvolve-se em Portugal e Espanha, na zona da Fronteira; em Moçambique e no Brasil. (FCT:SHRH/BPD/76601/2011). É diretor de Casa Muss-amb-iki - espaço de Memórias. Intervém no âmbito de pesquisa de redes sociais de memoria.
Esse post foi publicado em Actualités / News, Lectures / Readings e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s