Amazónicas XII – Slam Poetry

A “Poetry Slam” ou poesia de rompante é uma competição ente poetas que recitam ou lêem os seus trabalhos originais. Os trabalhos podem ser julgados pelos participantes jurados, escolhidos ou não. Normalmente a classificação atribuída vai de 1 a sete, de onde os valores mais elevados e baixos são retirados.

A slam poetry foi sistematizada pelo poeta americano Marc Smith num café de Chicago, levando para o espaço da lazer uma prática das pausas de trabalho nas fábricas. A ideia de declamar um poema em menos de 3’ estava relacionada com a hora de pausa, para que o máximo de poesias fossem declamadas. Em julho de 1986, encontra uma casa no “Green Mill Jazz Club” e em 1987 as regras de competição são formalizadas. No ano seguinte, em agosto de 1988 em Nova York deu-se o primeiro festival de Slam Poetry. O movimento slam espalhou-se pela américa e pelo mundo. Em Portugal é protagonizado pela Portugal slam , que em outubro deste ano irá promover o seu primeiro festival com o tema “linguagens, fronteiras e encontros. Para além doe 3’ a poesia deve ser original.

Em Beja, nas palavras andarilhas fizemos uma oficina com Raquel Lima  que já havíamos encontrado nas lições do CES.

Algumas ideias base da poesia slam. Tem por base a palavra dita. A palavra é dita através dum processo de escrita criativa, onde o objetivo é criar um texto original para criar consciência social. Há um momento de meditação pessoal, um momento de criação e um momento de extroversão.

O desafio de escrever um texto original implica um processo reflexivo de criação e edição.

Exercício criativo.

  • Procurar três palavras, enunciadas espontaneamente.
  • Da escolha das três palavras, escrever 5 palavras, com base na exploração do som e do significado
  • A escolha das palavras pode ser feita aleatoriamente ou por sorteio. O exercício de criatividade destina-se a libertar a sensibilidade.

A partir da criação, cada um é convocado a escrever um poema.

A leitura do poema é de seguida filtrada.

Os filtros da leitura destinam-se a treinar a dicção e podem ser.

Exercício de leitura para um ponto na sala.

  • Ler com um lápis na boca
  • Procurar expressar emoções com sons.
  • Trocar vogais, etc.
Anúncios

Sobre Pedro Pereira Leite

Investigador do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra onde desenvolve o projeto de investigação "Heranças Globais: a inclusão dos saberes das comunidades como instrumento de desenvolvimento integrado dos território".(2012-2107) . O projeto tem como objetivo observar a relevâncias no uso da memória social em quatro territórios ligados por processos sociais comuns. A investigação desenvolve-se em Portugal e Espanha, na zona da Fronteira; em Moçambique e no Brasil. (FCT:SHRH/BPD/76601/2011). É diretor de Casa Muss-amb-iki - espaço de Memórias. Intervém no âmbito de pesquisa de redes sociais de memoria.
Esse post foi publicado em Lectures / Readings e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s